Novos negócios têm alta de 44% no Brasil

O empreendedorismo avançou no país nos últimos dez anos. Pesquisa revela que a cada quatro brasileiros, três querem ter a própria empresa.

Segundo pesquisa divulgada pela Endeavor neste mês, o número de empreendedores no Brasil cresceu 44% nos últimos dez anos. A cada quatro brasileiros, três querem ter o próprio negócio. Ainda de acordo com a pesquisa da instituição, atualmente a maior parte da população brasileira é empreendedora ou pretende ser – 72% da população não é empreendedora, sendo que 33% tem vontade de ser, enquanto 28% dos brasileiros já são empreendedores. Ainda de acordo com o levantamento, a participação das mulheres também é crescente. “As mulheres estão cada vez mais empreendendo por oportunidade, por desejo, e não apenas necessidade”, confirma o presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barreto. “A possibilidade de ser seu próprio patrão leva grande parte das pessoas com potencial empreendedor a investir em um negócio próprio. Mas após um tempo descobrem que deixaram de trabalhar 40 horas para os outros e agora trabalham 80 horas para elas mesmas. E isso tudo sem férias, décimo-terceiro e sem poder reclamar com o chefe”, alerta Bruno Caetano, diretor superintendente do Sebrae-SP. A orientação é que a pessoa procure não apenas pelas atividades do momento, mas que busque conciliar também com aquilo que gosta de fazer. “A maneira como o empreendedor se relaciona e se identifica com aquilo que escolheu está diretamente ligada ao sucesso do empreendimento. Quanto mais entusiasmo pelo negócio, maiores as chances de crescimento da empresa”, completa Caetano. O diretor lembra, ainda, que o mercado é cíclico e atividades extremamente atrativas em um dado momento podem deixar de sê-lo, como aconteceu com lan houses e locadoras de vídeo. Portanto, planejamento e dedicação são fundamentais. Além de um bem-estruturado business plan, Mari Gradilone, sócia-diretora da Virtual Office, destaca a necessidade de ter capital adequado ao seu empreendimento, conhecimento de gestão e uma equipe de apoio que facilite a vida do empresário e permita ao novo negócio avançar com segurança. “Todos esses aspectos precisam ser considerados e uma assessoria vai gerar as condições que o profissional precisa para focar a atenção em sua atividade principal”, afirma.
Originalmente publicado em: Mogi News


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *