Como abrir um negócio, por Mari Gradilone

Artigo da sócia diretora do Virtual Office, publicado no DCI, dá dicas e conselhos para quem quer empreender.

***

O momento econômico é desafiador. Não basta ter vontade de abrir uma empresa, é preciso ter um plano de ação, seguir uma estratégia e ficar atento a certos cuidados. Seguir alguns passos iniciais pode garantir um início mais estruturado para quem vai empreender pela primeira vez. Um ponto-chave é saber criar as oportunidades. Elas estão à nossa volta. Então, seja bom na criação de um produto ou serviço. Não precisa ser algo inédito, basta que seja mais eficiente, resultando em um diferencial positivo no mercado.

A escolha do sócio também exige atenção. O contrato social da empresa, por melhor escrito, não garante a relação dos sócios à frente da empresa. O fato é que “química” é fundamental. Lembrar que ao decidir-se por uma sociedade, ambos estão no mesmo barco, em qualquer situação. Saber dimensionar o mercado que se tem como alvo também é fundamental. Aqui começa o trabalho de fato. Faça consultas com consumidores ativos, pesquisas que apontem o potencial do setor onde se pretende entrar.

Toda a informação é relevante. Não tente convencer alguém ou algo que tome mais de 25 segundos de explicação. Se o entrevistado não entendeu, mude a forma de explicar ou realinhe seu projeto. Quem manda sempre é o mercado. Definido produto/serviço, identifique potenciais consumidores que possam ser tratados de forma mais personalizada. Mapeie sua fatia de mercado, de forma realista, e um valor médio de faturamento mensal esperado. Outro aspecto importante é ter um custo inteligente, que não sufoque o negócio antes mesmo dele começar a operar.

Escritórios virtuais podem ser a melhor opção nessa fase, pois tem baixo custo operacional e podem evitar o gasto com secretárias e estrutura física para o startup. O interessante é almejar sempre um lucro de aproximadamente 25% após todos os custos operacionais e de impostos. A propaganda, site de busca, home page, mídias sociais e comunicação, se for o caso, devem ser definidas nessa fase, pois o que não está na internet “não existe”. Cumpridas todas essas etapas, é mais fácil saber se a relação entre os sócios será saudável, pois já foi necessário discutir e decidir muitas coisas. É o momento de se contratar um contador experiente para abrir a empresa.

Se já tem um escritório virtual em mente, vale lembrar que muitos deles têm contabilidade e prestam assessoria nesta área. Podemos concluir que montar uma empresa é um caminho longo até tornar-se realidade.

Fonte: DCI (http://www.dci.com.br/opiniao/como-abrir-um-negocio-id387090.html)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *